Notícias

Conectividade dá o tom à nova linha Volvo FH.

“Estamos passando a Volvo para uma nova era, entrando na tecnologia digital e abrindo caminho para toda uma indústria no Brasil”, disse Roger Alm, presidente do Grupo Volvo na América Latina, durante apresentação da nova linha F de caminhões, formada pelos modelos FH, FM e FMX. O novo FH tem a cabine com linhas mais aerodinâmicas  e um metro cúbico maior internamente, além de ter tecnologias de telemetria que o tornam um veículo mais conectado, graças ao I-See, sistema integrado à caixa de câmbio I-shift, que reconhece as estradas, tornando as trocas de marchas mais eficientes,  proporcionando melhor desempenho e menor consumo de combustível.

Esta tecnologia foi apresentada pela Volvo em 2012 no Salão de Hanover (IAA) juntamente com a nova cabine que está sendo lançada agora no Brasil. Trata-se de um software que tem a visibilidade da estrada, se prepara e toma decisões antecipadas da condução. Essa tecnologia otimiza a velocidade de cruzeiro de acordo com o relevo da rodovia, atua sobre comandos do veículo e grava as informações da rota, a qual ele passa a conhecer. “Estamos trazendo para o caminhão dos dias atuais o que todo o setor de transporte ainda vai usar no futuro”, afirma Bernardo Fedalto, diretor de caminhões Volvo no Brasil, referindo-se aos dispositivos presentes na nova linha, os quais contribuem para tornar o veículo, o motorista e o transportador, cada vez mais conectados.

O novo caminhão sai de fábrica pronto para interagir com o My Truck, aplicativo para smartphones que reproduz no aparelho muitas das funções exibidas no painel de instrumentos do veículo. O motorista e o transportador podem ter acesso a uma série de informações vitais sobre o status do veículo mesmo estando longe, lendo no smartphone os níveis do combustível, do óleo, do líquido de arrefecimento e do Arla 32. “Informação à distância e rápida é um elemento fundamental para que o transportador possa tomar decisões acertadas e aumentar a produtividade de sua frota”, diz Glênio Karas, engenheiro de vendas da Volvo.

Outra novidade da nova linha é o alarme de fábrica conectado ao My Truck. Com ele, o motorista ou o transportador recebem uma mensagem no smartphone caso o alarme dispare, se a cabine foi violada ou ainda checar se o alarme está desarmado. O novo veículo traz também como opcionais de conectividade um navegador GPS integrado ao sistema Volvo Multimídia e sai de fábrica preparado para interagir com ferramentas de acompanhamento e diagnóstico remoto, às quais, segundo a Volvo, serão lançadas em breve.

A nova cabine do FH recebeu novos materiais em sua construção e tem o banco do motorista mais envolvente, além do novo painel mais ergonômico e porta objetos fechados. Em todas as versões, o teto solar é item de série e o volante reúne todas as funções e passou a oferecer mais possibilidades de regulagem. A cama ficou mais larga e ganhou um novo colchão, sendo que sob ela abriga o conhecido porta-objeto. A parte traseira da cabine conta com um painel de controle com várias funções. Um detalhe: o para-brisa passou a ser colado na cabine, deixando de ser fixado com borracha.

O novo FH, chega também com novas suspensão a ar e freio a disco e tambor nas versões 6X2 e 6X4. Disponível a partir de janeiro de 2015, passa a ser oferecido com motorização  na faixa de 420 a 540cv de potência. Para Fedalto, o novo FH mantém e consolida a posição de melhor caminhão do mercado brasileiro, e lembra que os profissionais da rede de concessionários receberam mais de 100 mil horas de treinamento para atendimento da nova linha.

Na linha FMX, desenvolvida para operações em condições severas, uma das novidades é motor de 540cv, além das potências de 370cv, 380cv, 420cv, 460cv e 500cv. O modelo e pode sair de fábrica também com as novas configurações de tração integral 4x4 ou 6x6 e opção para eixo de 150 toneladas de PBTC (Peso Bruto Total Combinado) e a caixa de câmbio eletrônica I-Shift configurada para operações off-road.  “A caixa I-Shift que está agora no FMX faz mudanças de marchas mais rápidas. O setor fora de estrada também não quer mais caixas mecânicas”, acrescentou Álvaro Menoncin, gerente de engenharia de vendas da Volvo.  “É um novo FMX, com vários atributos que o tornam ainda mais vocacionado para aplicações em construção, mineração e cana-de-açúcar”, concluiu Alexander Boni, gerente de caminhões da linha F.

Já a linha FM ficou também recebeu modernização e ganhou novo design externo e o interior da cabine renovado, além de nova arquitetura eletrônica, entre outras mudanças.  O modelo também passou a oferecer novas opções de potências com motorização de 380cv e 370cv de potência, nas configurações 4x2, 6x2 e 8x2. Um novo eixo traseiro elevou a capacidade de carga do modelo para 65 toneladas de PBTC. Nilton Roeder, diretor de estratégia de caminhões do Grupo Volvo América Latina, destaca que a nova linha de caminhões marca mais um salto da Volvo na história do transporte de cargas brasileiro.

 

Portal O Carreteiro