Notícias

Movimentação nos portos e terminais cresce 4,6% no primeiro trimestre.

Os portos organizados e terminais de uso privado do país movimentaram 214,5 milhões de toneladas de cargas no primeiro trimestre de 2014, um crescimento de 4,6% em relação ao primeiro trimestre de 2013 e um incremento de 9,5 milhões de toneladas movimentadas.

Somente os portos organizados registraram crescimento de 11,4% (mais 8,1 milhões de toneladas) no período quando comparado com o primeiro trimestre de 2013, enquanto os terminais de uso privado apresentaram crescimento de 1% em igual período (mais 1,3 milhão de toneladas.

A movimentação de granéis sólidos no primeiro trimestre de 2014 alcançou a marca de 127,7 milhões de toneladas, um crescimento de 5,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já na parte de granéis líquidos, foram movimentados 54,8 milhões de toneladas, volume 4,5% superior ao montante movimentado em igual período do ano passado.

No segmento de carga geral (carga geral solta + carga geral conteinerizada), foram movimentados 32,1 milhões de toneladas no primeiro trimestre deste ano, o que representou um incremento de 1% em relação ao primeiro trimestre de 2013. Especificamente em relação à carga geral conteinerizada, houve crescimento de 10% em relação a igual período de 2013.

Dez portos concentraram 85,6% da movimentação dos portos organizados. Os destaques foram os portos de Itaguaí (RJ), com um incremento de 4,5 milhões de toneladas, Suape (PE), que registrou crescimento de 1,3 milhão de toneladas, e Paranaguá (PR), com um incremento de 1,2 milhão de toneladas. O porto de Santos apresentou queda na movimentação de 810 mil toneladas no comparativo trimestral, uma redução percentual de 3,7%.

Os terminais de uso privado, por sua vez, movimentaram 135,1 milhões de toneladas de cargas no primeiro trimestre, crescimento de 1% frente a igual período de 2013. Dez terminais concentraram 72,2% das cargas movimentadas. As principais cargas movimentadas pelos TUPs foram minério de ferro, combustíveis e óleos minerais, bauxita, soja, carvão mineral e soja.

Ao se considerar o tipo de navegação, a movimentação de cargas relacionada ao longo curso foi responsável por 72,9% do total, seguida da cabotagem, com 23%, da navegação interior, com 3,3%, e os outros tipos de navegação (apoios portuário e marítimo), com 0,8%. No comparativo trimestral 2014/2013, a navegação de longo curso foi a que apresentou o desempenho mais expressivo (6,1%). As navegações de cabotagem e interior apresentaram quedas no comparativo trimestral de, respectivamente, 0,5% e 5%.

Esses e outros números da movimentação dos portos públicos e instalações portuárias privadas brasileiras estão no Boletim Portuário do 1º trimestre de 2014, produzido pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). Acesse aqui.

Com informações da Antaq

Ana Rita Gondim

 

Agência CNT de Notícias